17 de Dezembro de 2016

Os postos de trabalho em TI mais difíceis de preencher

Noticiado pela ComputerWorld partilhamos um estudo realizado pela Burning Glass, empresa de análise de mercado de trabalho, que recolheu informação em mais de 40 mil sites de ofertas de emprego a nível mundial (entre Agosto 2015 e Setembro 2016) e elaborou uma lista dos 10 postos TI onde os recrutadores encontram mais dificuldades e o número de dias necessários até preencher essas vagas.

Um dos fatores com maior dificuldade apontado pelos recrutadores, é encontrar candidatos em que as competências técnicas estejam equilibradas com as capacidades de liderança, gestão e outras soft skills necessárias aos cargos propostos.

 

10 postos de trabalho em TI mais difíceis de preencher:

1 ‒ Director técnico
Tempo: 107 dias

O gestor técnico tem como função a gestão da totalidade de processos num departamento de TI, e também da gestão de recursos humanos, incluídas entrevistas e selecção de novos candidatos.

2 ‒ Gestor de SAP
Tempo: 64 dias

Um gestor de SAP está, como o nome indica, encarregado de supervisionar a implementação e integração de soluções SAP em toda a organização. Também devem ter experiência com o software SAP Solution Manager para garantir que as soluções SAP funcionem de maneira eficiente dentro da organização.

3 ‒ Analista de sistemas
Tempo: 63 dias

Um analista de sistemas encarrega-se de analisar, desenhar e implementar sistemas de informação e soluções de TI para utilizadores empresariais. Os analistas de sistemas estabelecem novos sistemas informáticos, incluídos hardware e software, e também podem implementar novas aplicações para aumentar a produtividade.

4 ‒ Arquitecto Java
Tempo: 63 dias
Um arquitecto Java define, integra, actualiza e mantém a infra-estrutura e as aplicações de uma empresa para suportar aplicações com base em java. Algo que pode incluir tudo, desde soluções de comércio electrónico, aplicações de gestão financeira a aplicações de Internet.

5 – Programador de Salesforce / CRM
Tempo: 54 dias

A plataforma de CRM de Salesforce está a transformar-se num elemento básico dos negócios digitais, diz Sigelman, e o cargo de exige um conhecimento abrangente da impulsão de negócio por detrás da plataforma e experiência com a integração e utilização. “Assistimos a uma grande procura de competências para Salesforce em muitas indústrias, o que sinaliza a ubiquidade da plataforma”, explica Sigelman.

6 – Arquitecto de bases de dados
Tempo: 54 dias
Um arquitecto de bases de dados tem como tarefa desenhar, criar, implementar e administrar a arquitectura de dados de uma organização. Isto significa ser capaz de avaliar as fontes de dados de uma organização, tanto interna como externamente, e desenhar, construir e administrar a infraestrutura de dados para armazenar e analisar esses dados.

7. Consultor de cibersegurança
Tempo: 53 dias

Um consultor de cibersegurança analisa o perfil de segurança de uma organização e reforça os pontos débeis, assessora e guia os executivos sobre a melhor maneira de proteger-se contra ameaças. Uma tarefa que inclui hardware, software, rede e segurança de aplicações.

8 ‒ Engenheiro de software “embebido”

Tempo: 52 dias

Com o auge da IoT, os engenheiros que podem desenvolver soluções integradas estão a ser muito procurados e faltam profissionais, diz Siegelman. “Seja na fabricação, eHealth ou espaços para consumidores, os engenheiros de software integrado são fundamentais para ajudar a modificar os sistemas existentes para novas aplicações ou para a criação de aplicações de raiz”, explica.

9 ‒ Administrador de dados

Tempo: 51 dias

Os administradores de dados ajudam as empresas a organizar, armazenar e analisar dados na perspectiva da segurança e privacidade. Os administradores de dados devem ter um conhecimento abrangente da complexidade da gestão dos mesmos e alguns conhecimentos práticos da arquitectura de dados e as melhores práticas para a segurança e conformidade.

10. Engenheiro/especialista em integração de sistemas
Tempo: 51 dias

Um engenheiro de integração de sistemas é especialista em reunir diferentes sistemas informáticos, ou aplicações de software para que trabalhem conjuntamente sem problemas, como um único sistema. Um engenheiro de integração de sistemas deve conhecer os fundamentos de software, redes, segurança e gestão de processos de negócio.

Leia aqui a notícia completa na Computer World >>

 

Conheça a oferta formativa da GALILEU nestas Carreiras Profissionais >>