20 de Setembro de 2017

Como adaptar as organizações à disrupção digital?

Transformar a minha empresa será uma tarefa impossível?

Se eu mandasse no hospital seria muito diferente: uma entrada própria para grávidas (não são doentes), uma cama maior, uma cozinha para a família usar, sem restrições de entradas, flores, música ambiente e atendimento personalizado e agradável.

Na Câmara Municipal da minha cidade, se eu mandasse, obrigava os serviços a falar uns com os outros para resolver os problemas dos cidadãos. Porque é que pedir uma licença é uma competência própria em que tenho de andar de secção em secção à procura de um papel que só fica completo após uma sucessão de carimbos (obras, saneamento, trânsito, ruído)?

Não seria mais simples a própria câmara assumir-se como dona do problema, fazendo o seguimento pelos serviços competentes, conhecedores da legislação aplicável, e resolvendo o problema?

Pode consultar o artigo completo na Edição #05 da Revista Game Changer

por JOÃO PEDRO FERNANDES,
Consultor do Ministério da Defesa Nacional para a área da Saúde
&
HUGO LOURENÇO
Chairman do Scrumday Portugal, Senior Advisor na IDC Portugal e consultor da Ranger4 e AGLX